Alexei Druzhinin/AP
Alexei Druzhinin/AP

Putin 'pensará no caso' de concorrer à presidência em 2012

Em programa de TV anual, primeiro-ministro afirma aos espectadores russos que não deixará a política

estadao.com.br,

03 de dezembro de 2009 | 10h58

Em uma eletrizante performance individual de mais de quatro horas ao vivo na TV russa, o primeiro-ministro da Rússia, Vladimir Putin, declarou nesta quinta-feira, 3, que "pensará no caso" de concorrer à presidência de seu país em 2012, recusando-se a descartar a possibilidade de eventualmente retornar ao Kremlin. "Vou pensar no caso. Há tempo suficiente", declarou o chefe de governo ao ser questionado se concorreria à presidência em 2012, quando termina o mandato de Dmitri Medvedev, durante o programa de televisão anual em que recebe perguntas dos telespectadores.

 

Há intensa especulação na Rússia de que Putin, que foi presidente entre 2000 e 2008 e ainda é visto como um poderoso líder, estaria planejando seu retorno à presidência nas próximas eleições para um novo mandato de 6 anos. Putin reafirmou que agora pretende focar no seu atual cargo e nas decisões, algumas vezes impopulares, que terá que tomar sem levar em conta a disputa eleitoral.

 

Putin assumiu o cargo de primeiro-ministro em 2008 depois de dois mandatos consecutivos como presidente. Desde então, o mandato presidencial foi ampliado em seis anos e Putin poderá concorrer novamente à presidência em 2012. A maratona anual televisiva, semelhante ao programa de TV em que recebia as perguntas dos cidadãos durante seu mandato como presidente, mostram que Putin permanece no comando do país, apesar de seu sucessor Dmitri Medvedev. Recentemente, Putin afirmou que em vez de competir com Medvedev nas próximas eleições, os dois "sentariam e decidiriam" quem seria o candidato.

 

O premiê, que se mostra como uma figura paternal russa responsável pela proteção da ameaça terrorista e da crise econômica, prometeu que o Kremlin lutará contra a escalada terrorista no país. Ele disse que a ameaça ainda é bastante elevada. No fim de semana, um ataque contra o trem matou 26 pessoas. Putin ainda focou a economia durante o programa, afirmando que a Rússia superou o pico da crise e que o governo vai gastar mais dinheiro para apoiar o setor econômico durante o período difícil.

Tudo o que sabemos sobre:
Rússia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.