Putin promete reforçar forças nucleares navais

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, supervisionou o início da construção de um submarino nuclear de nova geração e prometeu reforçar as forças nucleares navais do país, principalmente para proteger os interesses russos na região do Ártico, rica em petróleo.

GLEB BRYANSKI, Reuters

30 de julho de 2012 | 17h26

Putin comandou a cerimônia de início da construção do submarino Príncipe Vladimir, cujo nome homenageia o fundador do Estado precursor da Rússia moderna. Esse será o quarto submarino da classe Borei, projetado para transportar um dos mais novos e poderosos mísseis nucleares intercontinentais do país, o Bulava (clava)

"Acreditamos que nosso país deveria manter seu status como uma das principais potências navais", disse Putin a comandantes militares e funcionários do governo no estaleiro Sevmash, no norte da Rússia. "Antes de mais nada, estamos falando no desenvolvimento da parte naval das nossas forças estratégicas nucleares, e o papel da Marinha em manter nossa paridade nuclear estratégica."

Putin está empenhado em fazer dos submarinos e dos mísseis transportados por eles a parte central da Marinha russa, que receberá quase um quarto dos 20 trilhões de rublos (cerca de 620 bilhões de dólares) a serem gastos até o final da década.

Tudo o que sabemos sobre:
RUSSIAMARINHANUCLEAR*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.