Putin surpreende ao nomear desconhecido como premiê

O presidente da Rússia, Vladimir Putin,nomeou o pouco conhecido chefe de um órgão de acompanhamento domercado financeiro para o cargo de primeiro-ministro,realizando uma surpreendente manobra que mantém as dúvidassobre quem o sucederá no comando do governo russo. Mais cedo, Putin havia aceitado o pedido de renúncia dopremiê Mikhail Fradkov e, sem divulgar o nome do substitutodele, saído de Moscou para uma viagem pela região do Volga. Coube ao presidente da Duma (câmara baixa do Parlamento),Boris Gryzlov, anunciar que Putin havia indicado Viktor Zubkov,65, chefe do Serviço Federal de Monitoramento Financeiro, parao cargo de primeiro-ministro. O órgão tem como principal tarefacombater a lavagem de dinheiro. A manobra de Putin frustrou a previsão feita por analistasde que o presidente colocaria no cargo algum dos principaisnomes cogitados para sucedê-lo, dando assim um primeiro passorumo à transição de poder. Foi dessa forma que se desenrolou o processo em 1999,quando o então presidente Boris Yeltsin transformou Putin empremiê, antes de, meses depois, nomeá-lo como presidente emexercício. O respeitado jornal de economia Vedomosti, em uma matériadivulgada no começo da quarta-feira, havia dito que SergeiIvanov, primeiro-vice-premiê russo e fiel aliado de Putin,substituiria Fradkov em breve --uma opinião com a qualconcordaram vários analistas. Putin, no entanto, já surpreendeu antes. Zubkov nunca haviasido mencionado como possível candidato presidencial. A manobra mais recente pode significar que Putin esperafazer com que os eleitores continuem se perguntando a respeitodo sucessor dele. Com isso, o presidente evitariatransformar-se em uma figura meramente simbólica antes dedeixar o poder oficialmente, em maio de 2008. "Ele (Zubkov) é provavelmente uma peça de transição, quecontinuará no poder até o começo do mandato do novo presidentee a nomeação de um novo governo", afirmou Natalya Orlova,economista-chefe do Alfa Bank em Moscou. Zubkov formou-se em economia e comandou fazendas do governoantes de trabalhar com Putin na prefeitura de São Petersburgo. O presidente russo havia se reunido com Fradkov parareceber o pedido de renúncia dele e agradecê-lo pelo desempenhono cargo. Fradkov afirmou que abandonava o posto de premiê devido "àaproximação de eventos políticos importantes no país". Putin, que, pela Constituição, não pode buscar um terceiromandato, prometeu deixar o cargo no próximo ano. Independentede quem apóie para sucedê-lo, o atual presidente deve conseguircolocar no comando do governo russo ume aliado seu. A eleiçãoacontece em março de 2008.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.