Quatro morrem após avião se partir em aterrissagem na Rússia

Um avião russo se partir em pedaços depois de derrapar da pista e bater em uma rodovia nos arredores de Moscou neste sábado, matando quatro de 12 pessoas a bordo e formando nuvens de fumaça na rodovia congelada.

Reuters

29 de dezembro de 2012 | 15h50

O acidente, que aconteceu durante o pico das viagens antes do feriado de Ano Novo da Rússia, que vai de domingo até 9 de janeiro, colocou o foco das atenções no histórico ruim de segurança aérea da Rússia, apesar dos pedidos do presidente Vladimir Putin para melhorar os controles.

Imagens de televisão mostraram o avião Tupolev Tu-204 partido aos pedaços, com fumaça saindo da traseira e apenas uma parte dilacerada da frente da aeronave parcialmente visível.

Uma testemunha disse ao canal de televisão estatal Rossiya-24 que viu um homem ser arremessado do avião ao bater na mureta de proteção da rodovia ao lado do aeroporto de Vnukovo, ao sudoeste da capital, e outra afirmou ter tirado outras pessoas dos destroços.

"O avião se partiu em três pedaços", afirmou a porta-voz chefe do aeroporto, Yelena Krylova, em comentários televisionados.

Um porta-voz dos Serviços Emergenciais disse que quatro pessoas morreram devido aos ferimentos após o acidente e que quatro outras estavam no hospital. A polícia afirmou que havia 12 membros da tripulação a bordo, mas não passageiros.

"O avião saiu da pista, bateu na mureta de proteção e pegou fogo", afirmou o porta-voz da polícia Gennady Bogachyov.

O avião de médio porte Tu-204 era operado pela companhia russa Red Wings e havia decolado na República Checa, disse Krylova.

Escombros do avião estavam espalhados na rodovia e as asas haviam sido arrancadas da fuselagem, afirmaram testemunhas.

"Nós vimos como o avião derrapou da pista ... O nariz, onde fica a classe executiva, quebrou e um homem caiu", afirmou uma testemunha, apresentando-se como Alexei. "Nós o ajudamos a entrar num micro-ônibus para levá-lo ao hospital."

Outra testemunha descreveu ter tirado quatro pessoas dos escombros quando chegou na área do acidente antes dos funcionários do serviço de emergência. "Nós não conseguimos tirar o piloto do cockpit, mas nós vimos muito sangue", disse ele à Rossiya-24.

Investigadores russos disseram que descobertas preliminares apontavam para um erro do piloto como causa do acidente.

A Rússia e outras repúblicas que pertenceram à União Soviética tiveram alguns dos piores históricos de segurança aérea no ano passado, com a taxa total de acidentes quase três vezes maior do que a média global, segundo a Associação Internacional de Transporte Aéreo.

O avião russo Tu-204, que tem tamanho semelhante ao Boeing 757 ou o Airbus A321, é um projeto da era soviética feito em meados da década de 1990, mas já não é mais produzido. Não há outros grandes acidentes reportados com Tu-204s.

(Por Alissa de Carbonnel)

Tudo o que sabemos sobre:
RUSSIAACIDENTEAVIAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.