Reação do Brasil sobre caso na Suíça foi 'prudente', diz Garcia

Assessor de Lula afirma que governo agiu com informação que possuía e, do contrário, seria acusado de omissão

da redação, estadao.com.br

16 de fevereiro de 2009 | 12h04

O assessor especial da Presidência da República para Assuntos Internacionais, Marco Aurélio Garcia, disse nesta segunda-feira, 16, à rádio Eldorado, que a reação do governo brasileiro diante do caso da brasileira Paula Oliveira, que diz ter sido atacada por neonazistas na Suíça foi "prudente". "Se não tivéssemos tido uma reação naquele momento, fundada nas informações que nos chegavam, que a grande verdade é essa, o governo sem dúvida nenhuma seria acusado de leniência" no que diz respeito à defesa dessa cidadã brasileira", afirmou.   Veja também:  Ouça a íntegra da entrevista Família pede e amigos suspendem ato no Recife Itamaraty quer que Paula decida se partirá ou enfrentará investigação   Segundo ele, o fato de ter sido feitas manifestações de cunho racista ou xenófobo em relação ao ataque na Suíça não foi desmedida, já que o partido que aparece nos ferimentos de Paula, o PSV, fez a sua campanha política nos últimos anos baseada concretamente na hostilidade aos estrangeiros. O assessor de Lula afirmou ainda que o governo fará um pedido formal de desculpas se for provado que a brasileira não foi agredida. "Evidentemente, havendo esclarecimento e tendo sido desconstruída a versão de um ataque, o governo não se furtará de apresentar as escusas necessárias".   "Acho que vamos ter que esclarecer exatamente o que houve. Pode ser que ela não esteja grávida, mas não está descartada totalmente a hipótese de que ela tenha sido objeto de ataques. Se ela não foi objeto de ataques, se trata evidentemente de um caso mais complexo, que escapa até um pouco do domínio policial, vai mais para o psiquiátrico, se podemos assim dizer", afirmou.   Garcia afirmou ainda que a reação da cônsul brasileira em Zurique, Vitória Clever, e do chanceler Celso Amorim, que afirmou que o ataque teria conotação xenófoba, foi motivada pela preocupação com o bem-estar dos brasileiros que se encontram no exterior.

Tudo o que sabemos sobre:
SuíçaBrasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.