Rebeldes do partido governista espanhol lançam nova legenda conservadora

Rebeldes do conservador Partido Popular (PP), que governa a Espanha, lançaram um novo partido político nesta quinta-feira, esperando aproveitar o descontentamento da população com o desemprego estratosférico, escândalos de corrupção e o separatismo em ascensão na Catalunha.

ELISABETH OLEARY, Reuters

16 de janeiro de 2014 | 18h05

Líderes do novo partido, chamado Vox (voz, em latim), acusam o primeiro-ministro, Mariano Rajoy, de ser mole demais em relação ao separatismo basco e catalão e de não cumprir promessas eleitorais como, por exemplo, a de não elevar impostos.

"Milhões de espanhóis... se sentem abandonados pelo sistema político, que está infestado de escândalos de corrupção e a serviço de interesses privados", disse a repórteres Santiago Abascal, ex-integrante do PP, agora membro do comitê executivo do Vox.

Uma pesquisa de opinião divulgada no fim de semana mostrou que, com Rajoy na metade do mandato, o PP perdeu a liderança para a oposição socialista em consequência das medidas de austeridade e do plano de Rajoy de restringir o aborto.

É a segunda vez que os socialistas avançam desde que perderam a eleição geral no fim de 2011.

O Vox promete ser mais ativo do que Rajoy na defesa da unidade nacional espanhola, dizendo em seu programa partidário que vai restabelecer o poder central ao mesmo tempo em que respeitará "a diversidade cultural da Espanha".

Tudo o que sabemos sobre:
ESPANHAPOLITICAPARTIDO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.