Recomeça processo sobre futuro de Kosovo

Novas negociações sobre o futuro daprovíncia sérvia de Kosovo começaram na quinta-feira com um tomconciliador de ambas as partes, mas sem nenhum avanço sobre adiscordância fundamental --se a região deve ou não serindependente. Mediadores encontraram as delegações sérvia e kosovarseparadamente na sede do ministério austríaco de RelaçõesExteriores. Eles disseram que as conversas iniciais foramcordiais e que as duas partes se comprometeram pelos próximostrês meses a "não fazer ações ou declarações (...) que possamameaçar o processo da ''troika'' ou serem provocativas", segundonota do representante da União Européia, Wolfgang Ischinger. Mas, como se esperava, os representantes da maioriaalbanesa disseram que a independência da região que habitam éinevitável, enquanto os sérvios repetiram que já estãooferecendo tudo menos a independência plena à província. Ischinger disse que o mandato da "troika" (UE, EUA eRússia) termina em 10 de dezembro e que então o processo seráconcluído. A Rússia, porém, rejeita esse prazo. Os líderes da maioria albanesa, que são 90 por cento dapopulação da província, pediram à Sérvia que aceite aindependência e busque um futuro de relações amistosas entredois Estados soberanos. "Temos a oportunidade de lançar os fundamentos de umarelação madura, estável e funcional entre dois vizinhosindependentes", disse o primeiro-ministro kosovar, Agim Ceku. Slobodan Samardzic, ministro sérvio para Kosovo, disse quea contra-oferta de autonomia feita por Belgrado daria àprovíncia "mais poderes do que ela jamais teve em suahistória". Diplomatas não vêem disposição de nenhum dos lados parasuperar as diferenças e acham que as negociações --impostaspela Rússia e pela Sérvia ao Ocidente, que as vê comceticismo-- só servem para adiar a eventual declaração deindependência kosovar. (Reportagem adicional de Matt Robinson, Ksenija Prodanovice Ellie Tzortzi)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.