Refém de barco espanhol diz que piratas não são amadores

Ocupante de pesqueiro ocupado na Somália relata que rebeldes são fortemente armados e organizados

Agências internacionais,

22 de abril de 2008 | 08h41

Os tripulantes do pesqueiro espanhol seqüestrado por piratas na costa da Somália afirmaram para familiares que os rebeldes são "militares muito bem preparados, não são clássicos piratas, estão bem armados e bem organizados", segundo afirma o jornal espanhol El Pais na edição desta terça-feira, 22. O atuneiro com 26 ocupantes, 13 deles de origem espanhola, foi ocupado na tarde de domingo, e o governo espanhol enviou uma fragata para tentar conseguir a libertação do grupo. Segundo Jose María, pai de um dos reféns, Mikel Arana, o barco está ancorado na costa da Somália. O filho teria dito que todos estão bem, mas que os piratas roubaram algumas coisas, como jaquetas e sapatos, mas todos os tripulantes estão sendo bem tratados. Além disso, o refém relatou que pelo menos dez homens tomaram a embarcação. Antes, acreditava-se que pelo menos quatro homens teriam invadido o barco, mas o refém também disse que outros rebeldes embarcaram posteriormente. Os seqüestrados são mantidos no refeitório, ainda que possam circular de vez em quando. O governo espanhol disse aos familiares que as negociações estão a caminho e que a fragata Mendez Núñez chega na quarta-feira ao local do incidente.  Cargueiro libertado Forças policiais da região de Puntland, na Somália, recuperaram um cargueiro dos Emirados Árabes Unidos seqüestrado na segunda-feira por um grupo de piratas, que foi detido, informaram fontes oficiais nesta terça-feira. Pelo menos três dos piratas ficaram feridos, assim como um policial que recuperou a embarcação, enquanto nenhum membro da tripulação ficou ferido. O diretor-geral de Portos do Governo autônomo de Puntland, Mohammed Ahmed Nour, disse que a operação foi lançada segunda-feira à noite por policiais e terminou de madrugada. O barco Al-Khalij foi seqüestrado segunda às 10h (4h em Brasília), a 11 quilômetros do porto de Bossaso. Quando se aproximava da costa, o cargueiro foi avistado por um grupo de piratas, que o abordou após realizar disparos de intimidação. A embarcação tinha zarpado dos Emirados Árabes Unidos e estava transportando materiais para Puntland quando foi atacada. "As forças de segurança de Puntland recuperaram o barco dos piratas, e os sete piratas foram detidos. Três deles estão feridos", afirmou Mohammed, que acrescentou que entre a tripulação ninguém teve ferimentos. O alto funcionário indicou que espera-se que os detidos compareçam na quarta-feira perante as autoridades judiciais. O diretor-geral de Portos de Puntland não pôde dar detalhes sobre o destino do barco espanhol Playa de Bakio, que foi seqüestrado por um grupo de piratas no domingo passado. Mohammed indicou que, segundo suas informações, o barco se encontra fora dos limites de Puntland.

Tudo o que sabemos sobre:
PiratasEspanhaSomália

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.