Rei da Bélgica pede que líder socialista forme novo governo

O rei da Bélgica pediu, nesta segunda, que o líder dos socialistas francófonos tente formar um governo, na mais recente tentativa de quebrar os 11 meses de impasse político no país dividido linguisticamente.

BEN DEIGHTON, REUTERS

16 de maio de 2011 | 20h50

O rei Albert pediu para Elio Di Rupo, que já tinha tentado uma vez formar uma coalizão, que tentasse novamente negociações entre as comunidades que falam francês e holandês.

A incapacidade de formar um novo governo tanto tempo depois das eleições parlamentares gerou preocupações sobre a capacidade dos belgas de manter as suas finanças em ordem.

A agência de classificação de riscos Standard & Poor decidiu, no ano passado, colocar o país em análise para possível redução da recomendação por conta do impasse político.

O rei "pediu que ele formasse um governo e que tomasse qualquer iniciativa que pudesse ajudar", disse o palácio em nota oficial.

Se Di Rupo tiver sucesso, vai abrir espaço para que ele seja um primeiro-ministro francófono, algo que não acontece desde 1974.

O complexo processo belga para a formação de um governo envolve o rei nomeando um "pré-formador" para analisar as perspectivas para formação do governo e de um "formador" que efetivamente cria a coalizão.

Até agora, o rei só nomeou "pré-formadores" e todos falharam. Di Rupo foi nomeado agora "formador", o que sugere que as perspectivas para a formação de um novo governo melhoraram ou que a situação está chegando a um nível desesperador.

Tudo o que sabemos sobre:
BELGICAREIGOVERNO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.