Reino Unido aponta terrorismo e hackers como grandes ameaças ao país

Conselho Nacional de Segurança cita também pandemia ou crise militar envolvendo a nação

Efe

18 de outubro de 2010 | 05h24

LONDRES - O terrorismo e os ataques às redes informáticas figuram entre as maiores ameaças à segurança às que se enfrenta o Reino Unido, segundo a Estratégia de Segurança Nacional. A estratégia foi elaborada pelo Conselho Nacional de Segurança (NSC, na sigla em inglês), criado no mês passado de maio pelo primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, informa nesta segunda-feira, 18, a BBC.

Após uma análise de vários meses o NSC elaborou um documento que identifica 16 ameaças ao Reino Unido, das quais as mais graves são o terrorismo internacional, os ataques hostis ao ciberespaço britânico, um acidente ou uma pandemia ou uma crise militar entre Estados na qual possam se ver envolvido este país.

Na semana passada, o chefe da agência de inteligência no setor das comunicações, Iain Lobban, informou que centenas de e-mails hostis se dirigem cada mês contra as redes informáticas do governo.

Segundo a BBC, visto que, segundo se calcula, diariamente se enviam no mundo todo um quarto de trilhão de e-mails, o ciberespaço está se transformando em um novo campo de batalha.

O ministro da Defesa, Liam Fox, está pressionando para que se moderem os cortes orçamentários a seu departamento, que o Tesouro queria que fossem de entre 10% e 20%, mas que finalmente podem ficar, segundo a emissora, em 8%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.