Matt Dunham/AP
Matt Dunham/AP

Reino Unido banirá torneios e promoções de bebidas em pubs

Medidas visam combater o alcoolismo no país; bares também deverão servir água de graça aos clientes

Associated Press,

19 de janeiro de 2010 | 11h43

As autoridades do Reino Unido vão banir competições de bebidas em bares e forçarão os donos de pubs a oferecer água a seus clientes como parte de uma campanha para combater a cultura de bebedeira do país, revelaram nesta terça-feira, 19, fontes do governo.

 

Médicos, entretanto, dizem que o governo falhou ao usar sua arma mais efetiva - a imposição de um controle mínimo de preço nos produtos alcoólicos.

 

Segundo Carys Davis, porta-voz da organização Preocupação com o Álcool, as medidas "são melhor que nada" e que "devem educar", embora banir as competições de bebidas e práticas do gênero podem ajudar o controle sobre o álcool diminuir.

 

O consumo de álcool no Reino Unido recentemente chegou ao nível de problema político. Nos finais de semana, jovens vão de bar em bar nos centros das cidades, e estatísticas do governo indicam que o número de mortes relacionadas ao álcool dobrou desde 1991.

 

No ano passado, as autoridades sugeriram que um sistema controle de preço sobre produtos alcoólicos seria capaz de reduzir em 100 mil o número de hospitalizações e em 45 mil o número de crimes por ano. O secretário de Assuntos Internos, Alan Johnson, disse à rádio BBC nesta terça que não foi estabelecido um controle de preço, mas afirmou que não quer penalizar "quem bebe responsavelmente com pequenos impostos".

 

As novas regras - que deem entrar em vigor ainda neste ano se aprovadas pelo Parlamento - proibiriam competições de bebidas e promoções do gênero. Os bares também seriam obrigados a servir bebidas em menor quantidade e a servir água de graça aos clientes.

 

As regras são similares a um código escrito voluntariamente pela Associação da Cerveja e dos Pubs em 2005 que foi adotado por boa parte da indústria do álcool britânica. O código pede o fim de "promoções irresponsáveis", mas um relatório do governo divulgado em 2008 indica que as medidas são ignoradas.

 

"A indústria se provou incapaz de regular a si mesma", disse Davis. Segundo a associação criadora do código, o documento foi feito para lidar com problemas do alcoolismo, mas o governo estava injustamente acusando os bares, já que a maioria das bebidas vendidas no Reino Unido é proveniente de supermercados.

 

"Os pubs estão penando para sobreviver e o país está em recessão. Agora não é a hora de o Departamento de Assunto Internos arranjar mais problemas para esses estabelecimentos", Dise Brigid Simmonds, chefe da Associação da Cerveja e dos Pubs.

Tudo o que sabemos sobre:
alcoolismoálcoolReino Unidobarespub

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.