Reino Unido investiga laboratórios por surto de aftosa

As autoridades britânicas que procuramaveriguar a origem do foco de febre aftosa que afeta o gado deuna zona do sul de Londres se centravam neste domingo em doislaboratórios de pesquisa localizados a alguns quilômetros dedistância das granjas infectadas. Apesar de não ter havido confirmação sobre se os centroseram o foco da infecção, os dois laboratórios de altasegurança, um sob gestão do governo e outro pela indústriafarmacêutica Merial, foram fechados e colocados dentro da zonade exclusão em um raio de dez quilômetros. Os laboratórios manejam uma variedade de tipos de febreaftosa, fazem investigação sobre o vírus e desenvolvem vacinascontra ele, assim como contra outras enfermidades animais. A atenção se centrou nos laboratórios como possível fonteda infecção depois que o Departamento de Agricultura do paísdisse que a variedade confirmada na sexta-feira em 60 cabeçasde gado não havia surgido recentemente em animais e que setratava de um tipo isolado há quase 40 anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.