Reino Unido perde histórico médico de milhares de pessoas

Segundo diário inglês, erros de segurança do Serviço Nacional de Saúde causaram os extravios

EFE

25 de maio de 2009 | 13h18

O Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido perdeu históricos médicos de dezenas de milhares de pacientes, informou nesta segunda-feira, 25, o diário britânico The Independent. Segundo o jornal, os documentos foram extraviados por conta de uma série de graves erros de segurança. Entre janeiro e abril deste ano houve mais de 140 erros do tipo, mais que em todos os departamentos do governo central e das administrações locais juntos.

 

Segundo o comissário de Informação, Richard Thomas, está em perigo o princípio sagrado da confidencialidade médico-paciente. Thomas reivindicou, por isso, uma reforma urgente da segurança desse tipo de dados no sistema de saúde britânico. Em declarações ao The Independent, o comissário atribuiu esses erros à atitude "despreocupada" dos empregados do Serviço Nacional de Saúde em todo o país.

 

Segundo Thomas, uma equipe de inspetores se encarregará de examinar como se proteger os históricos médicos dos pacientes. Um médico de família, por exemplo, descarregou todo um banco de dados de pacientes, incluindo os históricos médicos de dez mil pessoas, em um notebook sem mecanismos de segurança.

 

Em outro caso, um centro de atendimento do norte de Londres jogou no lixo os nomes, endereços e notas médicas de 2.500 pacientes, como denuncia o periódico. O Ministério da Saúde lançou uma chamada urgente aos diretores dos hospitais britânicos para que consertem os erros de segurança que médicos, enfermeiras e outros profissionais cometem.

Tudo o que sabemos sobre:
Reino Unidosaúde

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.