Reino Unido planeja limitar mais a entrada de imigrantes

Redução seria necessária para combater o aumento do desemprego relacionado à crise econômica

Efe,

18 de outubro de 2008 | 11h42

O governo do Reino Unido planeja limitar a entrada de imigrantes no país para fazer frente ao aumento do desemprego relacionado à atual crise econômica, afirma na edição deste sábado, 18, do jornal The Times o secretário de Estado para a Imigração, Phil Woolas. Em entrevista à publicação, Woolas, que assumiu o cargo em 4 de outubro, diz que quer ver uma redução significativa do número de imigrantes que entram no país.     Atualmente, o Reino Unido está implantando um sistema de controle da imigração baseado em pontos, similar ao australiano, a partir do qual os estrangeiros de fora da União Européia (UE) têm sua entrada no país liberada em função de critérios específicos.   No entanto, Woolas, que também é secretário do Tesouro, acha que é preciso reforçar o sistema. "Quando as pessoas começa a ficar sem emprego, a questão da imigração se torna espinhosa. No passado, era muito fácil entrar neste país, o que vai ficar mais difícil", afirmou ao Times.   O secretário de Estado disse ainda que, "em algum momento", o governo vai introduzir um mecanismo para impor limites à imigração. "Este governo não vai permitir que a população chegue a 70 milhões de pessoas. Tem que haver um equilíbrio entre as pessoas que chegam e que vão embora", declarou.   As afirmações de Woolas, às quais o jornal se referiu como "extraordinárias" para um político trabalhista, também surpreenderam o presidente da Comissão Parlamentar de Imigração, Keith Vaz, que lembrou que o antecessor do atual secretário, Liam Byrne, e a ministra do Interior, Jacqui Smith, já deixaram claro sua "oposição às cotas."   Habib Rahman, do Conselho para o Bem-estar dos Imigrantes, disse que as declarações de Woolas jogam por terra a implantação do sistema de gestão da imigração por pontos, "a respeito do qual o governo realizou consultas detalhadas."

Tudo o que sabemos sobre:
Reino Unidoimigração

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.