Réplicas de tremores preocupam a Itália, diz Berlusconi

Premiê participou de funeral coletivo onde foram veladas as 289 vítimas do terremoto de segunda-feira

Agências internacionais,

10 de abril de 2009 | 11h51

 - 

O premiê italiano, Silvio Berlusconi, esteve no velório das vítimas do terremoto Foto: Reuters

L'AQUILA - O primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, disse nesta sexta-feira, 10, que as réplicas do terremoto que atingiu a Itália na segunda não dão trégua e preocupam as autoridades locais. A região já sofreu 806 réplicas, 186 delas ontem.

 

Veja também:

email Está na Itália? Envie seu relato

lista Brasileiros contam como enfrentaram o tremor

lista Cronologia: Piores tremores dos últimos anos

especialEntenda como acontecem os terremotos

mais imagens Fotos: Veja as imagens

video TV Estadão: Vídeo mostra a destruição em Áquila

 

"Estes fenômenos não param e estamos preocupados", disse o premiê em L'Aquila após assistir ao funeral coletivo das 289 vítimas do tremor de 5,8 graus na escala Richter que atingiu a região de Abruzzo, na Itália Central.

 

Os funerais pelas 289 vítimas do terremoto começaram com a leitura de uma mensagem do papa Bento XVI através de seu secretário pessoal, Georg Gaenswein, e perante milhares de familiares e moradores da região.

 

O secretário de Estado, Tarsicio Bertone, que oficia a cerimônia junto ao arcebispo de Abruzzo Guisseppe Molinari, assegurou durante a homilia: "Nos inclinamos perante o enigma indecifrável mas é também uma ocasião preciosa para entender qual é o valor e o significado da vida".

 

Participam do funeral, entre outros, o presidente da República, Giorgio Napolitano, e o primeiro-ministro, Silvio Berlusconi, quem pouco antes do ofício religioso conversou com os desconsolados Familiares.

 

Os caixões estão dispostos em quatro fileiras, numerados e com ramos de flores sobre eles.

A Praça de Armas da Escola da Guarda de Finanças, onde se celebra a cerimônia, está repleta de pessoas, às quais se somaram todos os vizinhos do povoado de Onna, onde morreram 45 pessoas dos cerca de 300 moradores.

 

 

 

 

O número de mortos pelo terremoto chegou a 289, segundo os últimos dados oficiais. O número de vítimas fatais subiu após o resgate de dois corpos que estavam nos escombros de um dos prédios do centro da localidade de L''Aquila, uma das mais castigadas pelo terremoto. Segundo a Polícia local, trata-se de uma mulher, de 53 anos, e de sua filha, de 18.

 

Entre os mortos, há 20 crianças e uma pessoa que ainda não foi identificada. Às 05h22 locais (0h22 de Brasília), a terra voltou a tremer na região de Abruzzo por causa de uma réplica que alcançou os 3,7 graus de magnitude na escala Richter. Além disso, na noite passada foi registrado outro tremor, por volta das 21h30 locais (16h30 de Brasília), de 4,9 graus, que também foi sentido em Roma.

Tudo o que sabemos sobre:
terremotoItália

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.