Representante das Farc na Espanha é libertada após fiança

O juiz espanhol Baltasar Garzón deixou hoje em liberdade, com o pagamento de uma fiança de 12 mil euros, a suposta representante das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) na Espanha, María Remedios García Albert, informaram à EFE fontes judiciais. O magistrado acusa Albert de um crime de colaboração com organização terrorista. Após depor para o juiz, Albert ficou em liberdade e tem sete dias para apresentar a fiança que lhe foi imposta. No momento em que pagar o valor será obrigada a comparecer semanalmente a uma instituição judicial e não poderá deixar o território espanhol. Além disso, a Polícia da Colômbia informou que Albert estava vinculada a este grupo desde 2000. Ela fazia parte da comissão internacional das Farc na Espanha e de lá seguia para vários países latino-americanos e do Oriente Médio nos quais atuava. "Conhecido como 'Irene', 'Zoraya' ou 'A médica' ela se vinculou às Farc no ano 2000, segundo nossos registros e o material que foi apreendido no acampamento de 'Raúl Reyes'", informou a Polícia colombiana.

27 de julho de 2008 | 16h35

Tudo o que sabemos sobre:
Farc

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.