Martin Meissner/AFP
Martin Meissner/AFP

Réu por genocídio, Mladic é hospitalizado às pressas

Ele é acusado de cometer genocídio no prolongado cerco a Sarajevo, capital da Bósnia

Reuters, Reuters

12 de julho de 2012 | 09h29

AMSTERDÃ - O ex-general servo-bósnio Ratko Mladic foi internado às pressas em um hospital holandês nesta quinta-feira, após alegar estar passando mal no quarto dia do seu julgamento por crimes de guerra.

Veja também:

linkJulgamento de Mladic é suspenso até 'novo aviso', diz tribunal

linkPrimeira testemunha é ouvida no julgamento de Mladic

forum CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

Mladic, de 70 anos, é acusado de cometer genocídio no prolongado cerco a Sarajevo, capital da Bósnia, e no massacre de Srebrenica, que resultou na morte de 8.000 homens e meninos muçulmanos. Ambos os casos ocorreram durante a guerra que levou à independência da Bósnia (1992-95).

Ele foi preso no ano passado na Sérvia, após 16 anos foragido, e já chegou com a saúde debilitada para ser julgado no tribunal especial para a ex-Iugoslávia. Em várias ocasiões, ele disse que não tem condições físicas de acompanhar o julgamento. Afirma que se ressente das sequelas de um derrame, que tem problemas nos dentes, e que já esteve internado com pneumonia.

Promotores e parentes de vítimas temem que ele morra impune, como ocorreu com o ex-dirigente iugoslavo Slobodan Milosevic, que morreu em 2006 quando estava sendo julgado pelo Tribunal Penal Internacional para a Ex-Iugoslávia, que funciona em Haia, na Holanda.

O tribunal disse que, se a saúde de Mladic permitir, a audiência será retomada na sexta-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.