Romênia poderá abrigar escudo antimísseis dos EUA

Chanceler do país europeu diz que autoridades estão negociando; premiê búlgaro mostrou-se favorável

Reuters,

26 de fevereiro de 2010 | 12h12

Autoridades da Romênia estão conversando com representes dos EUA para abrigar cerca de 20 lançadores de mísseis interceptadores como parte do escudo antimísseis dos americanos, disse nesta sexta-feira, 26, o ministro de Exteriores romeno, Teodor Baconschi.

 

No início do mês, o mais poderoso órgão de defesa romeno aprovou uma proposta dos EUA de incluir a Romênia no sistema que, segundo os americanos, visa defender os territórios que o abrigam contra ataques balísticos ou de foguetes de média distância. A decisão irritou a Rússia, que desaprova a instalação do escudo nas nações próximas.

 

"As negociações provavelmente durarão um não e meio. Elas dizem respeito a 20 dispositivos de interceptação em diferentes locais da Romênia", disse Baconschi em uma entrevista ao lado de seu homólogo búlgaro, Nikolai Mladenov.

 

O primeiro-ministro da Bulgária, Boiko Borisov, também disse que Washington também deverá manter conversas preliminares com seu governo sobre o assunto e que Sofia demonstraria solidariedade com o sistema de defesa Europeu.

 

O presidente dos EUA, Barack Obama, renovou o antigo plano da era Bush de implementação de radares e interceptadores na Polônia e na República Checa com o novo escudo antimísseis. Washington alega que o plano não é direcionado à Rússia, mas tem o foco em países como o Irã.

 

Moscou, porém, vê o sistema como uma ameaça ao seu próprio arsenal nuclear e reprova o que considera uma intromissão dos EUA em sua esfera de influências, principalmente o leste europeu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.