Efe
Efe

Ronald Biggs passa aniversário de 80 anos como homem livre

'Ladrão do século' não vai comemorar a data que coincide com 46º aniversário do assalto ao trem pagador

Efe,

08 de agosto de 2009 | 09h11

Um dia depois de ser oficializada sua libertação, Ronnie Biggs, conhecido como o "ladrão do século" pelo assalto ao trem pagador, na Escócia, em 1963, fez 80 anos nesta sábado, 8, como um homem livre, mas muito doente e internado em um hospital. Biggs está internado no Hospital Universitário de Norfolk e Norwich, leste da Inglaterra, para onde foi levado em 28 de julho desde sua cela na prisão de Norwich, com um quadro de pneumonia grave.

 

Ele não deve comemorar seu aniversário, que coincide com o 46º aniversário do assalto, pois está "extremamente fraco", segundo sua família.

 

O Ministério da Justiça confirmou na sexta-feira, 7, que os funcionários da penitenciária que vigiavam o ladrão se retiraram do centro médico, e que Biggs recebeu os documentos que contêm as condições de sua liberdade. O assaltante, porém, continuará no hospital, já que precisa da ajuda de cirurgiões, enquanto os médicos avaliam se poderá deixar em breve o ambulatório para ser transferido a um asilo de idosos.

 

O filho de Biggs com a brasileira Raimunda Rothen, Michael, que fez sucesso no Brasil há mais de 20 anos como o Mike do grupo infantil Turma do Balão Mágico, disse na sexta estar exultante pela libertação, uma notícia que deixou a família "bastante contente".

 

Já o neto do motorista de trem que foi ferido na cabeça durante o assalto de 1963 afirmou ao Daily Telegraph que Biggs deveria "apodrecer na prisão".

 

Biggs fugiu da cadeia na década de 60, e passou décadas como foragido no Brasil, onde, desprezando as tentativas de extradição das autoridades britânicas, levou uma existência de playboy e tornou-se uma lenda do mundo do crime. Atualmente com 79 anos, regressou ao Reino Unido por vontade própria em 2001, e desde então ficou na prisão, mas o declínio de sua saúde provocou um debate sobre se ele deveria ser solto após cumprir um terço de sua sentença de 30 anos de prisão. Biggs, que estava na prisão de Norwich, no leste da Inglaterra, foi hospitalizado com infecção pulmonar.

 

Em 1963, com os outros 11 integrantes do bando, ele roubou do trem pagador, que ia de Glasgow a Londres, 2,6 milhões de libras - cerca de 30 milhões de libras (US$ 49 milhões) em valores de hoje. O crime ficou conhecido como o assalto ao trem pagador. No ano seguinte, Biggs foi preso e condenado a 30 anos de prisão, mas conseguiu fugir do presídio depois de apenas 15 meses. Biggs usou sua parte do roubo para pagar uma cirurgia plástica e documentos para uma passagem para a Austrália, onde voltou a exercer seu antiga profissão de carpinteiro e decorador. Mais tarde foi para o Brasil, via Panamá e Venezuela. Em 2001, ele se entregou à polícia, depois de passar 36 anos como foragido da Justiça.

Tudo o que sabemos sobre:
Ronald Biggstrem pagadorMike Biggs

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.