Ruptura de diques deixa povoados inundados no sudeste da Polônia

Cerca de três mil pessoas tiveram de deixar casas por conta da cheia do rio Vístula

Efe

07 de junho de 2010 | 10h01

 

VARSÓVIA - Cerca de três mil pessoas foram evacuadas nesta segunda-feira, 7, no sudeste da Polônia por causa das cheias do rio Vístula, que transbordou os diques em alguns pontos e alagou campos de cultivo e povoados nas margens.

 

Em alguns casos as defesas contra a água estavam debilitadas pelas enchentes dos últimos dias de maio, as mais fortes em 160 anos, o que facilitou que o rio penetrasse nas planícies das bordas de seu curso nas províncias de Swietokrzyska e Podkarpacie.

 

Em comarcas como a de Annopol ou Szczucin a água cobre muitas casas e fazendas, enquanto os moradores se perguntam como poderão enfrentar as incontáveis perdas causadas por duas inundações consecutivas.

 

Sandomierz é outra das localidades mais afetadas, onde o rio se apoderou de várias de suas ruas e de alto-falantes municipais se anuncia a necessidade de evacuar, algo com o que não estão de acordo todos os moradores, especialmente os que já foram retirados há alguns dias, quando se viram afetados pela primeira inundação.

 

A situação também provocou o fechamento de várias estradas secundárias no sudeste do país, o que está afetando o abastecimento de povoações e de indústrias locais. Na capital do país, Varsóvia, as aulas em colégios e creches das zonas mais próximas ao rio foram suspensas, perante a chegada da enchente, prevista para a tarde da terça.

Tudo o que sabemos sobre:
VístulaPolôniaenchentes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.