Rússia abre nova investigação contra maior crítico de Putin

Investigadores russos aumentaram a pressão sobre um dos maiores críticos do presidente Vladimir Putin nesta quinta-feira, abrindo uma nova investigação criminal contra Alexei Navalny um dia depois de ele ter sido julgado por uma acusação de roubo.

Reuters

18 de abril de 2013 | 12h56

Navalny, que ajudou a organizar uma onda de protestos contra Putin e é um ativista contra a corrupção, nega qualquer irregularidade e diz que as acusações contra ele são falsas, como parte de uma campanha do Kremlin para esmagar a oposição.

O Comitê de Investigação da Rússia, que responde diretamente a Putin, afirmou que Navalny e seu irmão Oleg eram suspeitos de fraudar 3,8 milhões de rublos (120.000 dólares) de uma empresa, por meio da organização de transporte de correio para eles a preços excessivos em 2008.

É o quarto processo criminal aberto contra Navalny nos últimos meses.

Navalny reagiu com ironia ao anúncio da nova investigação em seu Twitter, enquanto viajava de volta a Moscou de trem depois de ir a julgamento na quarta-feira sob acusação de roubo na cidade de Kirov.

"Eu acordei no trem. Descobri que outro processo criminal foi lançado. Isso significa que a nossa viagem foi um sucesso", escreveu.

O crítico, de 36 anos, pode pegar até 10 anos de prisão no julgamento aberto na quarta-feira se for condenado por roubar cerca de 510.000 dólares de uma empresa de madeira que estava aconselhando em Kirov em 2009. O julgamento foi adiado até 24 de abril.

Navalny, líder da oposição mais importante a ser julgado na Rússia pós-soviética, disse que acredita que Putin, de 60 anos, ordenou as investigações e o julgamento contra ele para afastá-lo como um potencial rival presidencial.

O Kremlin nega exercer pressão sobre os tribunais e diz que Putin não os usa para fins políticos. Mas o ex-ministro das Finanças de Putin Alexei Kudrin lançou dúvidas sobre o julgamento nesta semana, dizendo que o caso pode prejudicar a imagem da Rússia.

(Reportagem de Alissa de Carbonnel)

Tudo o que sabemos sobre:
RUSSIANAVALNYNOVAINVESTIGACAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.