Rússia acusa EUA de frearem resolução da ONU para Geórgia

EUA e Reino Unido tentam colocar obstáculos para aprovação do plano europeu para o conflito, diz Moscou

Efe,

18 de agosto de 2008 | 15h40

A Rússia acusou nesta segunda-feira, 18, os Estados Unidos e o Reino Unido de colocarem obstáculos para a aprovação no Conselho de Segurança da ONU de uma resolução do plano europeu sobre o conflito na Geórgia. "EUA e Reino Unido tentam veladamente desviar o conteúdo do acordo" lançado pela Presidência francesa da União Européia (UE), assinala o comunicado da chancelaria russa.   Veja também: Rússia diz que iniciou retirada de tropas da Geórgia 'Um miliciano mirou o fuzil no meu peito e pulei na estrada', diz correspondente do Estado  EUA devem reavaliar relação com Rússia' Ouça o relato de Lourival Sant'Anna  Imagens feitas direto de Gori, na Geórgia  Godoy e Cristiano Dias comentam conflito  Entenda o conflito separatista na Geórgia   O Ministério de Assuntos Exteriores russo critica Washington e Londres por tentarem apresentar o plano europeu "de uma forma como se as ações agressivas georgianas contra a Ossétia do Sul não afetassem, de nenhuma maneira, a situação na região".   Para Moscou, esses dois países não podem "ignorar a imperiosa necessidade de revisar o assunto do estatuto da Abkházia e da Ossétia do Sul". A nota também afirma que o presidente russo, Dmitri Medvedev, não recebeu "confirmação" de que as tropas georgianas tenham retornado a seus postos originais. "O ritmo de nossos passos futuros dependerá da boa vontade de Tbilisi em cumprir com o que é exigido", aponta.   Desde o início do conflito, a Rússia defendeu que se emita uma resolução condenatória da agressão do Exército georgiano contra a província separatista de Ossétia do Sul. Por outro lado, os EUA negaram, justificando que as tropas russas tinham invadido o território de um país soberano.

Tudo o que sabemos sobre:
RússiaGeórgiaOssétia do Sul

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.