Rússia agirá contra sistema de defesa dos EUA, diz general

Militar afirma que propostas apresentadas para escudo antimísseis se afundaram em argumentos diplomáticos

Associated Press,

27 de maio de 2008 | 15h00

Um alto militar russo alertou nesta terça-feira, 27, que o Exército poderá responder ao sistema de defesa que os Estados Unidos pretendem instalar no Leste Europeu com medidas defensivas. O general Yevgeny Buzhinsky disse ainda que as propostas apresentadas por Washington se afundaram em argumentos diplomáticos.   Buzhinsky disse aos repórteres que a Rússia considera passos "assimétricos" se os EUA instalarem o escudo antimísseis na Europa. O general afirmou que Moscou não tem a intenção de construir uma proteção militar semelhante, mas recusou falar sobre as medidas que o Exército poderia tomar.   O militar ressaltou que a Rússia apreciou as propostas dos EUA para apaziguar as preocupações russas, mas acrescentou que elas não foram suficientes para mudar a percepção do Kremlin de que o sistema de defesa americano poderia minar a segurança de Moscou. Washington prometeu atrasar a ativação do sistema do escudo antimísseis na Polônia e na República Checa até que o Irã prove que é uma ameaça iminente aos europeus. Os EUA ainda permitiram que oficiais russos monitores a construção para assegurar que o sistema não é direcionado contra a Rússia.   "Recebemos bem as propostas como um passo na direção correta, com o reconhecimento de que as preocupações russas são bem fundamentadas", disse Buzhinsky, que é chefe do departamento de acordos internacionais do Ministério de Defesa da Rússia. "Mas os EUA precisam abandonar os planos de instalar o sistema de defesa antimísseis na Europa se quer remover as preocupações russas".   Washington sugeriu que a Rússia negociasse diretamente com a Polônia e a República Checa para garantir aos oficiais russos o acesso permanente às instalações, mas Buzhinsky disse que as negociações foram interrompidas. O general negou os argumentos poloneses e checos de que o acesso seria garantido com bases na reciprocidade, afirmando que a Rússia não tem nenhuma facilidade similar para os vizinhos monitorarem.   A Rússia tem criticado fortemente as intenções americanas de criar um sistema de defesa antimíssil no leste europeu, com a instalação de um interceptor de mísseis baseado na Polônia e de um sistema de radares na República Tcheca. O governo americano afirma que as instalações são necessárias para a defesa de um possível ataque iraniano. Os Estados Unidos querem construir um sistema que vai permitir a interceptação de mísseis balísticos e que envolve radares estacionários no Alasca e na Califórnia, nos Estados Unidos e no Reino Unido. Outro radar está planejado para a Groenlândia.

Tudo o que sabemos sobre:
RússiaEUAescudo antimísseis

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.