Rússia anuncia que revisará relações com a Otan

Países da Otan sugeriram rever as relações com a Rússia após o conflito na Geórgia

Efe

21 de agosto de 2008 | 04h35

O vice-ministro de Assuntos Exteriores da Rússia, Aleksandr Grushko, anunciou hoje que o Kremlin revisará suas relações com a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).  "As relações com a Otan serão revisadas. E é claro que isso afetará também os programas de cooperação militar", disse Grushko à agência local "Interfax".   Veja também: Rússia quer zona de segurança na Ossétia do Sul  Rússia controla Gori, mas abandona 4 postos Cruz Vermelha manda equipe para Ossétia do Sul Rússia desqualifica Otan; retirada acaba na 6.ª Ouça o relato de Lourival Sant'Anna  Imagens feitas direto de Gori, na Geórgia  Godoy e Cristiano Dias comentam conflito  Entenda o conflito separatista na Geórgia     Ontem, o ministério da Defesa norueguês havia declarado que a Rússia tem planos de suspender todos os laços militares com a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). O  secretário de Estado da Noruega, Barth Eide, informou que a embaixada do país recebeu uma ligação do Ministério da Defesa russa nesta quarta-feira, que dizia que Moscou planeja "congelar toda a cooperação militar com a Otan e países aliados." Segundo o diplomata, está sendo realizado um "inventário da cooperação" russa com a Otan. "Estamos analisando o estado de nossas relações (com a Otan) para tomar decisões sobre os passos a seguir", acrescentou.Na última terça-feira, o embaixador russo na Otan, Dmitri Rogozin, já havia acusado a aliança militar de "seguir ancorada na Guerra Fria".Rogozin fez as declarações em Bruxelas depois de os ministros de Assuntos Exteriores dos países que integram a Otan terem definido que após o conflito na Geórgia a relação com a Rússia não pode continuar como vinha sendo até agora.   O embaixador russo disse que a mensagem crítica da Otan direcionada à atuação do Kremlin na Geórgia é "jogo de palavra, pois ninguém quer nem pode romper laços com a Rússia".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.