Rússia aprova nova estratégia dos EUA para o Afeganistão

Ministério do Exterior vê planos como 'positivos' e deseja a 'rápida estabilização da segurança' do país

Reuters,

02 de dezembro de 2009 | 17h11

O governo da Rússia disse nesta quarta-feira, 2, que sua reação ao anúncio da nova estratégia dos EUA para o Afeganistão, feita pelo presidente Barack Obama na terça, foi considerada "positiva".

 

Veja também:

linkOtan confirma envio de mais 5 mil soldados para o Afeganistão

linkPlano de Obama para guerra afegã custará US$ 30 bi no 1º ano

linkGoverno e oposição criticam novo plano 

video Vídeo: Discurso de Obama no canal da Casa Branca no YouTube

especialEspecial: 30 anos de violência e caos no Afeganistão 

 

"Em geral, Moscou reagiu positivamente aos principais pontos da nova estratégia anunciada pelos EUA", informou por meio de comunicado o Ministério do Exterior.

 

"A Rússia, assim como toda a comunidade internacional, está interessada na rápida estabilização do Afeganistão como um país autossuficiente, próspero e independente, livre de crimes gerados pelo tráfico de drogas e do terrorismo. Acreditamos na implementação de tarefas previstas na estratégia americana que ajudarão a atingirmos esse objetivo", finaliza o documento.

 

Na terça-feira, Obama anunciou a nova estratégia para o Afeganistão na Academia Militar de West Point, em Nova York. Entre os pontos dos planos americanos está o envio de mais 30 mil soldados para a luta contra o Taleban e uma previsão de início de retirada de tropas para julho de 2011.

 

Com o novo contingente, os EUA terão cerca de 100 mil soldados no Afeganistão. A Otan mantém atualmente 36 mil militares no país e já confirmou o envio de pelo menos mais cinco mil. O governo russo, entretanto, não citou informações sobre o envio de mais soldados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.