Rússia controla focos de incêndio e aguarda chegada de frente fria

Chuvas e baixas temperaturas deve atingir região ocidental do país ainda nesta segunda

Associated Press

16 de agosto de 2010 | 12h47

MOSCOU - Os corpos de bombeiros da Rússia conseguiram deter o avanço dos incêndios na região oeste do país enquanto uma frente fria se aproxima do país e pode colocar fim à onda de calor que já dura dois meses, informaram nesta segunda-feira, 16, as autoridades locais.

 

Ainda há aproximadamente 500 focos de incêndio ativos, mas o território atingido pelas chamas diminuiu em 15% nas últimas 24 horas, informou o Ministério de Situações de Emergência. A área coberta pelo fogo em volta de Moscou praticamente foi reduzida pela metade nos últimos dois dias.

 

A onda de calor - a maior em 130 anos, desde que a temperatura começou a ser registrada - desatou uma série de incêndios na parte ocidental da Rússia. O calor e a fumaça gerada pelos incêndios encobriram a capital Moscou por mais de uma semana e duplicou o índice de mortalidade da cidade.

 

Mais de 50 pessoas morreram por conta dos incêndios e mais de 2 mil casas foram destruídas. Os meteorologistas dizem que uma frente fria avança pela direção noroeste e deve chegar à região ainda nesta segunda, reduzindo as temperaturas e levando chuva.

 

A onda de calor aumentou as preocupações de que os incêndios poderiam chegar às áreas afetadas pelo desastre nuclear de Chernobyl, na Ucrânia, em 1986, e espalhar as partículas radioativas para outras zonas. As autoridades, porém, disseram que todos os focos na região foram controlados rapidamente.

 

Segundo o braço regional do Ministério de Situações Emergenciais, os níveis de radiação do local permaneceram dentro do normal.

Tudo o que sabemos sobre:
Rússiaincêndiosclima

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.