Rússia diz ao Ocidente que Kiev precisa cumprir compromissos

O ministro de Relações Exteriores russo, Sergei Lavrov, disse a seus colegas norte-americano e alemão nesta segunda-feira que o governo em Kiev precisa abrir mão da violência e cumprir acordo fechado na semana passada para reduzir as tensões na Ucrânia.

Reuters

21 de abril de 2014 | 16h03

Em uma ligação telefônica, Lavrov pediu ao secretário de Estado norte-americano, John Kerry, que "influencie Kiev a não deixar que exaltados provoquem um conflito sangrento, e impulsione a liderança atual da Ucrânia a cumprir suas obrigações incansavelmente".

A declaração russa foi emitida logo após o Departamento de Estado dos EUA dizer que Kerry, em ligação telefônica a Lavrov, exortou à Rússia que ajude a implementar o acordo alcançado na quinta-feira entre a Rússia, Ucrânia, Estados Unidos e União Europeia.

Separatistas pró-russos no leste da Ucrânia têm ignorado os pedidos do acordo para que desocupem edifícios. Mas a mensagem de Lavrov foi a de que a responsabilidade recai sobre o governo de Kiev e do Ocidente para implementar o acordo e acalmar a tensão na Ucrânia.

Ele disse a Kerry que o acordo foi ameaçado pela "incapacidade e falta de vontade das autoridades de Kiev para colocar fim aos atos violentos de ultranacionalistas e acabar com prisões e libertar ativistas do movimento de protesto no sudeste da Ucrânia".

Em uma conversa em separado com o ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Frank-Walter Steinmeier, Lavrov "destacou a necessidade para o cumprimento rigoroso e abrangente dos pontos da declaração de Genebra por parte das autoridades em Kiev", disse o comunicado.

(Texto de Steve Gutterman)

Tudo o que sabemos sobre:
RUSSIAKIEV*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.