Rússia diz que EUA atentam contra equilíbrio nuclear

Os Estados Unidos estão desobedecendo o equilíbrio de armas nucleares ao não oferecer um substituto para o tratado de controle de armas Start, que expira no próximo ano, disse o ministro das Relações Exteriores Sergei Lavrov. O tratado de redução de armas estratégicas, assinado em Moscou em 1991, acertou tetos para o tamanho dos arsenais nucleares de Rússia e Estados Unidos, e se tornou um símbolo do fim da guerra fria. O governo do presidente norte-americano, George W. Bush, planeja deixar que o acordo expire para substituí-lo por um acordo menos formal que elimine os estritos requerimentos de verificação. "Acredito que este seja um caminho mais perigoso", afirmou Lavrov segundo o diário Rossiiskaya Gazeta em uma entrevista que será publicada na terça-feira. "Tudo isso aumenta a instabilidade. A paridade nas armas defensivas e ofensivas está sendo minada", disse Lavrov em uma cópia da pré-publicação da entrevista, que foi obtida pela Reuters. Lavrov disse que Bush, em um encontro com líderes russos no Mar Negro em abril, havia prometido novas propostas de um substituto para o Start que atenderia as preocupações da Rússia. "Nos prometeram isso várias vezes", disse Lavrov. "Ainda estamos esperando." Lavrov afirmou que a necessidade por um acordo consistente e verificável era maior do que nunca, tendo em vista que os Estados Unidos planejam instalar elementos de um escudo anti-mísseis na Polônia e na República Tcheca. Washington diz que o escudo é necessário para a proteção contra ataques dos chamados Estados agressores, especialmente o Irã, mas Moscou acredita que o sistema está focado contra seu próprio arsenal nuclear. As já tensas relações entre a Rússia e os Estados Unidos pioraram depois da intervenção militar russa em sua ex-vizinha soviética Geórgia, em agosto. A Rússia disse que agia para proteger civis da agressão da Geórgia, enquanto Washington e outras capitais ocidentais classificaram a reação russa como desproporcional. Mas Lavrov disse que a Rússia continuava comprometida com as chamadas negociações do "2+2", que reúnem os ministros russos das Relações Exteriores e da Defesa e os secretários de Estado e da Defesa dos Estados Unidos. O último encontro do tipo -- para discutir os tratados do escudo anti-mísseis e de controle de armas estratégicas -- foi em Moscou em março deste ano. "Estamos prontos para novos encontros", disse Lavrov. (Reportagem de Tatiana Ustinova)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.