Rússia diz que não renovará acordo de armas com EUA

A Rússia não renovará um acordo assinado há décadas com os Estados Unidos sobre o desmantelamento de arsenais químicos e nucleares que vencerá no ano que vem, disse nesta quarta-feira o vice-ministro de Relações Exteriores, Sergei Ryabkov, segundo a mídia local.

Reuters

10 de outubro de 2012 | 18h40

O fim do acordo de 1991, que foi renovado duas vezes, é o último de uma série de atritos nas relações entre Washington e Moscou e deixa dúvidas sobre o futuro do elogiado "reinício" das relações entre velhos inimigos da Guerra Fria.

"A base do programa é um acordo de 1991 que, devido ao momento em que foi concebido, a forma que foi elaborado e preparado, não cumpre com padrões muito elevados. O acordo não nos satisfaz, especialmente considerando novas realidades", disse Ryabkov, citado pela Interfax.

O senador norte-americano Richard Lugar, veterano defensor do desarmamento, esteve em Moscou em agosto para estimular a renovação do plano que ajudou a criar.

O projeto, que pretendia desmantecer os arsenais nucleares e químicos da antiga União Soviética, foi ratificado pela última vez pela Rússia em 2006, e vence em 2013. Assessores do governo disseram que o plano levou à desativação de mais de 7.650 ogivas nucleares estratégicas.

(Reportagem de Thomas Grove)

Tudo o que sabemos sobre:
RUSSIAEUAACORDO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.