Rússia diz querer ajudar EUA no Afeganistão

Moscou permitirá que Washington envie suprimentos para soldados na região através de seu território

Agências internacionais,

04 de fevereiro de 2009 | 14h42

O presidente russo Dmitri Medvedev disse nesta quarta-feira, 4, que a Rússia e seus aliados ex-soviéticos querem cooperar com os Estados Unidos na estabilização do Afeganistão. Segundo um alto diplomata, Moscou irá permitir que Washington envie suprimentos para seus soldados na região através do território russo e disponibilizará suporte. O gesto aparece um dia depois do Quirguistão anunciar o fechamento da última base americana na Ásia Central, que apoiava as operações no Afeganistão.   Veja também:  Obama quer discutir com Rússia redução de arsenais nucleares   "Nós reagimos positivamente ao pedido dos EUA para transitar, através da Rússia, suprimentos e materiais para o Afeganistão", declarou o vice-ministro do Exterior russo Grigory Karasin. "Seremos flexíveis de muitas outras maneiras que irão apoiar nosso sucesso conjunto no Afeganistão", acrescentou. Karasin rejeitou qualquer ligação da medida com um pacote de ajuda de US$ 2 bilhões que Moscou ofereceu ao Quirguistão com o fechamento da base americana arrendada no país.   Segundo o Wall Street Journal, altos comandantes militares dos EUA estão finalizando um plano para enviar dezenas de milhares de soldados à região onde se produz grande parte do ópio no Afeganistão. O presidente americano Barack Obama deve aprovar formalmente o reforço das tropas ainda nesta semana.   A intenção do Pentágono, ainda de acordo com o diário, é enviar de 20 mil a 30 mil soldados até o fim do verão (boreal), a maioria para o sul do país. Com isso, o número de tropas americanas no território afegão deve ser o maior desde a invasão liderada pelos EUA, em 2001.   A iniciativa tenta confrontar os militantes do Taleban, que deram demonstrações de força nos últimos meses, com o aumento da violência no país. A ideia da administração Obama é reforçar áreas fora do alcance do governo afegão em Cabul. Os EUA têm 34 mil soldados atualmente no Afeganistão.

Tudo o que sabemos sobre:
RússiaEUAAfeganistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.