Rússia diz ter míssil capaz de superar defesa antimísseis

Moscou testa foguete em momento de tensão com o Ocidente; arma viaja 6 mil km e não seria detectada

Agências internacionais,

28 de agosto de 2008 | 12h06

As Forças Armadas da Rússia informaram nesta quinta-feira, 28, que realizaram com sucesso um teste com um foguete balístico intercontinental RS-12M Topol, desenvolvido para não ser detectado por sistemas de defesa antimísseis. O míssil foi lançado a partir da base de Plesetsk, no noroeste da Rússia, e 25 minutos depois atingiu o alvo previsto, em um polígono militar da península de Kamchatka, no extremo leste do país, a uma distância de cerca de 6 mil quilômetros.   O novo teste foi anunciado no momento de um agravamento das relações com o Ocidente, após a incursão do Exército russo na Geórgia e do reconhecimento pelo Kremlin da independência das regiões separatistas georgianas da Abkházia e da Ossétia do Sul. Além disso, a Rússia criticou duramente os EUA pelo acordo para a instalação de um sistema de mísseis na Polônia e advertiu que a resposta de Moscou a um desenvolvimento do escudo antimísseis irá além da diplomacia.   Os EUA planejam instalar dez mísseis interceptadores na Polônia e um sistema de radares na vizinha República Checa entre 2011 e 2013. Esses dois países integram a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) desde 1999. O escudo antimísseis concluirá um sistema de defesa que já possui componentes nos EUA, na Groenlândia e no Reino Unido. A Rússia rejeita o argumento dos EUA para justificar a necessidade de instalação do sistema, endossado por representantes dos 26 países da Otan no início deste ano.   O teste ficou a cargo das Forças Espaciais e das Forças Estratégicas de Mísseis da Rússia, informou às agências russas o porta-voz desta última entidade, coronel Aleksandr Vovk. O objetivo era confirmar as características de vôo deste tipo de míssil, após o prolongamento do prazo de vida útil e os ensaios de novos tipos de equipamentos de combate para os mísseis balísticos de lugar terrestre, disse o porta-voz. "A ogiva experimental do míssil atingiu com grande precisão o alvo condicional situado no polígono de Kamtchatka e confirmou, assim, sua capacidade garantida de abater seletivamente alvos com alto grau de proteção", disse Vovk, segundo a agência RIA Novosti.

Tudo o que sabemos sobre:
Rússiaescudo antimísseis

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.