Rússia e EUA mantêm impasse sobre escudo antimísseis

Mesmo de acordo sobre ameaça do Irã e Coréia do Norte, Bush e Medvedev ressaltam diferenças sobre o plano

Efe,

07 de julho de 2008 | 11h14

Os presidentes dos Estados Unidos, George W. Bush, e Rússia, Vladimir Medvedev, mantiveram o impasse sobre o escudo antimísseis que o governo americano quer instalar no leste da Europa. Eles se reuniram nesta segunda-feira, 7, por uma hora no luxuoso hotel Windsor, em Toyako, na ilha de Hokkaido, no norte do Japão, onde foi inaugurada a cúpula anual do Grupo dos Oito (G8, sete países mais industrializados e a Rússia).  Veja também:  Bush aproveita cúpula do G8 para pedir punições ao Zimbábue  Ao término de sua reunião, ficou claro que Rússia e EUA não conseguiram superar o desacordo sobre o escudo antimísseis, um dos grandes empecilhos nas relações entre Washington e Moscou. Segundo declarou Bush à imprensa, ainda existem "algumas áreas de desacordo", o que foi corroborado por Medvedev, ao indicar que em alguns assuntos as diferenças foram mantidas. "Estamos de acordo em questões como Irã e Coréia do Norte, mas há outros assuntos sobre questões européias e o escudo antimísseis nos quais temos diferenças", afirmou. No entanto, Bush disse que "também há áreas nas quais sabemos que possamos colaborar em favor do bem comum". O presidente americano louvou o novo líder russo, a quem descreveu como "um homem inteligente que entende muito bem os assuntos". Em uma aparente referência a suas declarações após sua primeira reunião com o antecessor de Medvedev, Vladimir Putin, quando assegurou que lhe parecia "cauteloso aos olhos e que tinha capturado uma impressão de sua alma", Bush afirmou nesta ocasião que não ia "analisar psicologicamente" o novo presidente russo. "Posso dizer que é um homem com muita confiança em si mesmo e que quando diz algo, diz a sério", afirmou. Medvedev mostrou, por sua parte, sua disposição a intensificar a colaboração com Washington nos seis meses que ainda restam de mandato a Bush. "Queremos aprofundar a relação com a futura administração dos EUA, mas também temos ainda seis meses com a atual e tentaremos intensificar nosso diálogo com este governo", disse. A reunião tinha como objetivo, pela parte americana, conhecer o novo dirigente russo, que, com 42 anos, tenta aproveitar sua juventude para forjar uma imagem diferente à de seu antecessor e mentor político. No entanto, até o momento, Medvedev optou por seguir a política de Putin em assuntos como sua oposição ao escudo antimísseis americano, que os EUA planejam desdobrar na Polônia e na República Tcheca. A Rússia vê esse escudo como uma ameaça contra seu território, mas Washington assegura que ele é dirigido contra possíveis ataques por parte de países hostis no Oriente Médio. A secretária de Estado, Condoleezza Rice, deve viajar esta semana à República Tcheca para assinar o acordo pelo qual os EUA instalarão o radar do escudo neste território.

Tudo o que sabemos sobre:
RússiaEUAG8

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.