Rússia e Geórgia iniciam primeira reunião após conflito

Em fato inédito nas reuniões diplomáticas da ONU, os fotógrafos foram proibidos de registrar o encontro

EFE,

15 de outubro de 2008 | 08h26

A primeira reunião entre Rússia e Geórgia após o conflito armado de agosto começou nesta quarta, 15, hoje na sede da ONU em Genebra, em um ambiente dominado pela extrema reserva por causa da delicadeza do encontro.A porta-voz das Nações Unidas Elena Ponomareva confirmou aos jornalistas que a reunião tinha começado em uma área de acesso restrito, e assegurou que não contava com a lista oficial de participantes."São discussões muito complexas a portas fechadas e que vão durar o dia todo", declarou.Em um fato inédito nas diversas reuniões diplomáticas que acontecem na ONU, os fotógrafos foram informados de que não estavam autorizados a registrar a entrada das delegações.Fontes diplomáticas confirmaram somente a presença do vice-ministro de Assuntos Exteriores da Geórgia, Grigol Vashadze, e de seu colega russo, Grigori Karassine, em um encontro que acontece apenas dois meses depois do conflito que protagonizaram pelas repúblicas separatistas da Ossétia do Sul e a Abkházia.O processo, que está auspiciado pela União Européia (UE), a Organização para a Segurança e a Cooperação na Europa (OSCE) e a ONU, tem como objetivo resolver os problemas mais urgentes deixados por esse conflito, particularmente a sorte dos deslocados e refugiados.Segundo fontes diplomáticas vinculadas ao processo, a organização desta reunião foi muito complicada em razão das posições tão opostas entre georgianos e russos, assim como pela designação das partes que estariam representadas na mesa de diálogo.Ontem à noite, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, afirmou que este é "apenas o princípio de um processo" para buscar um acordo durável.Ban disse que o objetivo inicial é restaurar a confiança entre as partes e abordar as necessidades humanitárias no território.Os assuntos pendentes (de caráter político e jurídico) serão analisados posteriormente, disse o secretário-geral da ONU.

Tudo o que sabemos sobre:
RússiaGeórgia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.