Rússia e UE estreitam laços para assinar acordo estratégico

Líderes se reúnem para acelerar negociações sobre energia e segurança; Medvedev critica escudo antimísseis

Agências internacionais,

27 de junho de 2008 | 10h22

A cúpula União Européia e Rússia concordou em "iniciar negociações" para a assinatura de um "acordo estratégico" entre Moscou e os 27 membros do bloco, segundo anunciado em um comunicado conjunto. O presidente russo, Dmitry Medvedev, aproveitou a ocasião ainda para criticar o plano americano de instalar um sistema de defesa antimísseis no Leste Europeu, que os russos consideram uma ameaça ao seu território   Essa é a primeira reunião entre a Rússia e os líderes da UE desde que o Medvedev sucedeu a Vladimir Putin, atual primeiro-ministro da Rússia. Os europeus acreditam que as relações com Moscou serão mais fáceis com o atual presidente, do que com o ex-chefe de governo.   O objetivo central do encontro era acelerar as conversas bilaterais para tornar o governo russo como um aliado estreito. A nota divulgada destaca que as negociações para alcançar um "acordo estratégico", marco que regerá as relações russo-européias no futuro, começarão em 4 de julho. O acordo tem especial importância em matéria energética, já que a UE depende do petróleo e do gás russo, mas deve contemplar ainda aspectos de cooperação política e integração econômica.   O presidente russo, não perdeu a oportunidade de criticar a Europa e a solidariedade do bloco em "promover os interesses de membros individuais". Medvedev rechaçou ainda os planos do sistema de defesa dos Estados Unidos para o Leste Europeu, afirmando que eles minam a segurança regional.   "Somos profundamente céticos sobre esta iniciativa", disse Medvedev. "Acreditamos que seja prejudicial e falhe no cumprimento da tarefa de manter a segurança do continente europeu e até mesmo global".

Mais conteúdo sobre:
RússiaUnião Européia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.