Rússia espera que eleição na Geórgia ajude a normalizar laços

A Rússia disse nesta quarta-feira que espera que a vitória da coalizão liderada pelo bilionário Bidzina Ivanishvili nas eleições da Geórgia ajudem a normalizar as relações entre os países vizinhos, envolvidos em uma breve guerra em 2008.

Reuters

03 de outubro de 2012 | 11h36

Os governos russo e georgiano romperam relações diplomáticas depois que forças da Geórgia foram enviadas para um conflito de cinco dias, em agosto de 2008, que terminou com a Rússia reconhecendo a independência da regiões Ossétia do Sul e Abkházia.

"É óbvio que a sociedade georgiana votou por mudanças. Esperamos que no final elas permitam que a Geórgia inicie a normalização e o estabelecimento de relações construtivas e respeitosas com os vizinhos", disse o porta-voz do Ministério de Relações Exteriores russo, Alexander Lukashevich, em comunicado.

"Tal evolução seria bem-vinda para a Rússia", acrescentou.

A Rússia enviou seu Exército para a Ossétia do Sul depois que forças georgianas atacaram a região, dizendo que queriam restaurar a ordem constitucional. A Geórgia, com 4,5 milhões de pessoas, disse que os separatistas apoiados pela Rússia provocaram o ataque.

Ivanishvili, que provavelmente será o novo primeiro-ministro da ex-república soviética, pediu ao presidente Mikheil Saakashvili, um fiel aliado dos EUA, que renuncie depois da derrota de seu partido, o Movimento da União Nacional, nas eleições de segunda-feira.

(Reportagem de Nastassia Astrasheuskaya)

Tudo o que sabemos sobre:
RUSSIAGEORGIARELACOESDIPLOMATICAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.