Rússia estreita laços com regiões separatistas da Geórgia

Após independência de Kosovo, Moscou afirma que apoiará proclamação de províncias vizinhas

Efe e Reuters,

16 de abril de 2008 | 11h01

O presidente russo, Vladimir Putin, pediu para que seu governo estreite laços com a Abkhazia e a Ossétia do Sul, duas regiões separatistas da Geórgia. Moscou advertiu que apoiará a independência dessas regiões, em resposta ao apoio do ocidente a proclamação de Kosovo como Estado independente da Sérvia. Após o anúncio, o governo da Geórgia convocou uma reunião do seu gabinete de segurança.   Veja também: Putin vai se casar com uma ginasta de 24 anos   "O governo russo ordenou a cooperação com as autoridades da Abkhazia e da Ossétia do Sul, incluindo a organização de meios de cooperação comercial, econômica, social e científica", informa o comunicado do Ministério de Relações Exteriores russo, que não mencionada nada sobre o reconhecimento de Moscou sobre possíveis separações de territórios. Entre as medidas anunciadas estão o reconhecimento de documentos de identidade emitidos nas duas regiões, de empresas e organizações e serviços consulares aos cidadãos russos que vivem nestas regiões.   Segundo comunicado divulgado pela agência russa Interfax, a medida faz parte das ações que a Rússia adota para proteger, por instruções do presidente Vladimir Putin, os cidadãos russos que residem permanentemente na Abkhazia e na Ossétia do Sul. Nos últimos anos, a Rússia concedeu cidadania à maioria dos habitantes da Abkhazia e da Ossétia do Sul, que romperam ligações com a Geórgia no início da década passada após conflitos armados.   A decisão enfureça o governo da Geórgia, que perdeu o controle das duas províncias na década de 1990. Imediatamente após o anúncio da chancelaria russa, o presidente da Geórgia, Mikhail Saakashvili, convocou uma reunião urgente do Conselho de Segurança Nacional para estudar uma resposta. A política de Moscou foi denunciada pela Geórgia como uma "anexação escondida" das regiões separatistas, que em suas respectivas guerras de secessão contaram com o apoio da Rússia.   A Rússia ameaçou estreitar suas relações com as regiões separatistas logo após a proclamação unilateral da independência de Kosovo, ex-província sérvia, em 14 de fevereiro. O reconhecimento do novo Estado por parte da União Européia e dos Estados Unidos não agradou aos russos, que vêem na medida precedentes para outras províncias separatistas.

Tudo o que sabemos sobre:
Vladimir PutinRússiaGeórgia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.