Rússia expulsa diplomata israelense acusado de espionagem

A Rússia expulsou na semana passada o adido militar de Israel em Moscou depois de prendê-lo para interrogatório por suspeita de espionagem, disseram o Exército de Israel e o ministro da Defesa do país na quarta-feira.

REUTERS

18 de maio de 2011 | 19h38

"O adido militar e representante do ministério da Defesa na Rússia, coronel Vadim Leiderman, foi surpreendentemente detido para interrogatório na semana passada pelas autoridades russas sob acusações de espionagem ... depois do interrogatório, ele recebeu um prazo de 48 horas para deixar a Rússia", afirmou nota oficial.

A nota acrescentou que a investigação israelense não encontrou nenhuma base para as suspeitas da Rússia.

"Autoridades de Defesa de Israel fizeram análises detalhadas e descobriram que as alegações de espionagem não têm nenhuma base."

O ministro das Relações Exteriores de Israel negou fazer comentários sobre o caso, assim como o chanceler russo e o chefe do serviço de segurança federal do país.

(Reportagem de Steve Gutterman, em Moscou)

Tudo o que sabemos sobre:
RUSSIAISRAELEXPULSA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.