Rússia faz novos testes com mísseis intercontinentais

Submarinos russos lançam projéteis dos mares do Japão e da Noruega, nos dois extremos do território russo

Com agências internacionais,

12 de outubro de 2008 | 11h48

O presidente russo Dimitri Medvedev supervisionou neste fim de semana um teste com três mísseis balísticos intercontinentais. Dois desses mísseis foram lançados de submarinos que patrulhavam em dois pontos do país. Um míssil foi disparado do mar de Ojotsk, ao norte do Japão. O outro foi lançado de um submarino no mar de Barents, ao leste da Noruega. O terceiro míssil foi atirado de uma lançadeira em Plesetsk, no noroeste da Rússia. "Isso demonstra que nosso escudo está funcionando", declarou o presidente Dimitri Medvedev, satisfeito com o êxito do teste depois de assistir ao disparo. Os projéteis alcançaram com precisão seu objetivo em Kura, na Península de Kamchatka, ao leste da Rússia, segundo as agências. "Continuaremos desenvolvendo novos tipos de armas, mas também seguiremos testando as que temos agora", disse Medvedev. "Sua efetividade foi provada pelo tempo. Nosso sistema de defesa é bom", adicionou. Medvedev impulsionou uma reforma nas Forças Armadas russas depois do breve conflito com a Geórgia, que em agosto provocou uma disputa verbal tensa com os Estados Unidos e a União Européia.Vestido com um paletó de estilo militar, com uma faixa para indicar que é o comandante-chefe, Medvedev inspecionou o míssil Topol de 21,5 metros antes do lançamento. A arma estava projetada para perfurar sistemas de defesa antimíssil como o que os Estados Unidos buscam instalar no leste da Europa. O Kremlin se opôs aos planos de Washington. O predecessor de Medvedev, e agora primeiro-ministro Vladmir Putin, elevou os gastos em defesa durante seu mandato de oito anos, a fim de reviver as Forças Armadas da Rússia, que durante a década de 1990, minguou afetada pela corrupção, baixos salários e falta de fundos.

Tudo o que sabemos sobre:
Rússiatestesmilitarmísseis

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.