Rússia fracassa no lançamento de dois satélites de comunicação

Dois satélites que forneceriam serviços de telecomunicações para Indonésia e Rússia foram destruídos após uma falha no lançamento do foguete russo que os colocaria em órbita, num acidente que gera novas dúvidas sobre uma indústria espacial que já foi pioneira.

Reuters

07 de agosto de 2012 | 17h13

A agência espacial russa afirmou que uma falha na última etapa do lançamento em seu foguete Proton levou à perda dos satélites Telkom-3 (indonésio) e Express MD2 (russo).

O foguete havia decolado na noite de segunda-feira (hora local) do cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão. O prejuízo com a destruição dos satélites, segundo estimativa de uma fonte do setor espacial à agência Interfax, é de 100 a 150 milhões de dólares.

A Rússia, que realiza 40 por cento dos lançamentos espaciais do mundo, luta atualmente para restaurar a confiança nesse setor, após uma série de tropeços no último ano, inclusive o fracasso em uma missão que deveria trazer amostras da lua marciana Fobos, e a perda de um satélite de comunicações de 265 milhões de dólares.

Em nota, a agência espacial Roskosmos disse que o propulsor Briz-M disparou seus motores no momento previsto, mas que eles queimaram durante apenas 7 dos 18 minutos e 5 segundos que seriam necessários para colocar os satélites em órbita.

"As chances de que os satélites se separem do propulsor e atinjam a órbita designada são praticamente inexistentes", disse uma fonte do setor à agência estatal de notícias RIA.

Os lançamentos de foguetes Proton devem ser suspensos até que seja concluída uma análise do acidente, segundo a fonte setorial.

(Reportagem de Alissa de Carbonnel e Gennady Novik)

Tudo o que sabemos sobre:
RUSSIASATELITESLANCAMENTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.