Rússia não planeja aumento de força após congelamento da CFE

A Rússia afirmou no sábado não terplanos para uma expansão de forças após sua decisão de congelarsua participação no Tratado sobre Forças Armadas Convencionaisna Europa (CFE, na sigla em inglês). "A Rússia não planeja nenhuma expansão de forçasextraordinária que ameace outros Estados", disse ovice-ministro de Relações Exteriores, Sergei Kislyak, em umaentrevista coletiva em Moscou, segundo a agência de notíciasInterfax. A Rússia suspendeu na quarta-feira sua participação na CFE,destinada a limitar os armamentos nos dois lados da antigaCortina de Ferro. O general Yuri Baluyevsky, chefe do Estado-Maior das ForçasArmadas da Rússia, disse que não haverá "uma grandeconcentração de armas" e pediu ao Ocidente para levar a sério amoratória à CFE. "Isso não é um blefe, mas uma necessidade objetiva", disseBaluyevsky na mesma entrevista. "Os Estados Unidos e aOrganização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) estão usandoisso (a CFE) como um instrumento de pressão à Rússia." Kislyak disse que a medida não significa que a Rússia iráinterromper o diálogo sobre segurança com o Ocidente. "A introdução da moratória não é o fim da história. Mas odiálogo deve ser sério", disse ele, segundo a Interfax. (Reportagem de Douglas Busvine)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.