Rússia não reconhece independência de Kosovo

Moscou diz que decisão da Corte Internacional não dá base legal para autonomia do território

Reuters

22 de julho de 2010 | 14h56

MOSCOU - O Ministério de Exteriores da Rússia disse nesta quinta-feira, 22, que a decisão da Corte Internacional de Justiça de declarar legal a independência de Kosovo da Sérvia não fornece base legal para que o território se torne um país autônomo.

 

Veja também:

linkONU declara legal a independência de Kosovo

linkAutoridades de Pristina comemoram decisão

linkSérvia 'nunca reconhecerá Kosovo', diz chanceler

linkEUA apoiam independencia de Kosovo

linkUnião Europeia pede diálogo entre Sérvia e Kosovo

 

Segundo o comunicado divulgado pela chancelaria russa, Moscou não tem a intenção de reconhecer a independência kosovar apesar da decisão da corte. O tribunal, por uma maioria de 9 a 5, decidiu que a decisão unilateral de Kosovo de se desvencilhar da sérvia não viola as leis internacionais.

 

"É essencial que a corte dê explicações sobre a atual declaração, e especificamente esclareça que não está se referindo a uma questão mais ampla sobre o direito de Kosovo de se separar da Sérvia unilateralmente", diz o comunicado.

 

"Em suas conclusões, a corte não expressa uma opinião sobre as consequências da declaração, particularmente se Kosovo é ou não um Estado e se o reconhecimento da independência por parte de outras nações é legal", continua o texto.

 

A Rússia, histórica aliada da Sérvia, disse que manterá Kosovo fora da Organização das Nações Unidas (ONU) e de outros órgãos internacionais onde tem poder de veto. "Acreditamos que a solução para o problema de Kosovo seja possível somente por meio de negociações entre as partes e com base na resolução 1244 do Conselho de Segurança da ONU", diz o comunicado, que conclui reiterando que a posição de Moscou de "não reconhecer a independência de Kosovo permanece inalterada".

Tudo o que sabemos sobre:
rússiaKosovoSérviaindependência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.