Rússia pedirá ao Irã que negocie questão nuclear

O presidente russo, Dmitry Medvedev, vai pedir ao Irã que retome negociações com as potências mundiais sobre seu programa nuclear, quando se reunir na quinta-feira com o presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, disse um alto funcionário russo.

REUTERS

17 de novembro de 2010 | 12h22

Medvedev também pretende se inteirar sobre os receios do Irã nessa questão quando os dois se encontrarem durante uma cúpula dos países da região do mar Cáspio, que será realizada no Azerbaijão na quinta-feira, disse um integrante da delegação russa, em comentários autorizados para divulgação.

"Acreditamos que deveríamos negociar com ele", disse o funcionário a jornalistas, acrescentando: "Temos de convencê-lo (a restabelecer o diálogo) e, possivelmente, tentar ouvi-lo."

As declarações indicam que o governo russo quer retomar a confiança do Irã e elevar seu papel como negociador, depois de ter irritado a República Islâmica nos últimos meses ao se aproximar da posição dos Estados Unidos sobre o programa nuclear iraniano.

A Rússia apoiou as sanções impostas pela ONU sobre o programa nuclear iraniano, em junho, e deixou de vender ao país mísseis de autodefesa.

Nações ocidentais suspeitam que o Irã esteja tentando fabricar armas nucleares, mas o governo de Teerã diz que seu único objetivo com as instalações nucleares é produzir energia elétrica.

A chefe da política externa da União Europeia, Catherine Ashton, vem representando as seis potências -- Rússia, Estados Unidos, Grã-Bretanha, França, China e Alemanha -- envolvidas nos esforços para estabelecer novas conversações com o Irã.

Ambos os lados disseram estar dispostos a realizar a reunião em 5 de dezembro, mas não chegaram a um acordo sobre a pauta e Ahmadinejad indicou que negociações sobre algumas atividades iranianas estão fora de cogitação.

Tudo o que sabemos sobre:
RUSSIAIRANUCLEAR*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.