Rússia prende suspeito de atentado contra metrô de Moscou

Homem levou mulheres suicidas até as duas estações onde se explodiram, matando 40 pessoas

REUTERS

12 de julho de 2010 | 21h21

O serviço de segurança russo anunciou nesta segunda-feira, 12, que deteve um suspeito pelo atentado duplo a bomba perpetrado em março contra o metrô de Moscou que matou 40 pessoas.

As autoridades disseram que também foram detidas seis mulheres que preparavam novos ataques no centro da Rússia.

O país enfrenta problemas para conter o ressurgimento dos ataques dos rebeldes em províncias de maioria muçulmana do sudoeste russo, que em março levaram sua luta ao coração da Rússia com atentados suicidas no metrô de Moscou, onde ao menos 100 pessoas ficaram feridas.

O Comitê Nacional Antiterrorista, que faz parte do serviço de segurança FSB, anunciou em comunicado a detenção de oito suspeitos em uma casa em Makhachkala, capital da República do Daguestão, de maioria muçulmana.

"Um dos homens detidos em março deste ano levou as suicidas que cometeram atos terroristas nas estações de metrô de Lubyanka e Park Kultury", segundo o comunicado.

As autoridades disseram que as duas mulheres suicidas envolvidas no ataque de Moscou eram do Daguestão, que ocupou o lugar da Chechênia como centro da atividade rebelde.

Quatro das seis mulheres detidas, que tinham idades entre 15 e 29 anos, eram viúvas de rebeldes que foram mortos pelas forças de segurança, indicou a nota oficial.

(Reportagem de Conor Humphries)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.