Rússia prevê pressão por 'diálogo' com rebeldes da Ucrânia, para breve

A Rússia disse neste domingo que o governo de Kiev precisa ajudar a estabelecer um dialogo com ativistas pró-Rússia, no sudeste da Ucrânia, e que em breve medidas nesse sentido serão tomadas

Reuters

04 Maio 2014 | 13h15

"Parece que sem ajuda externa, as autoridades de Kiev não são capazes de estabelecer esse diálogo," disse o vice-ministro de relações exteriores, Grigory Karasin ao canal de televisão 24.

Ele disse que uma operação militar ucraniana visando a retomada do território controlado pelos rebeldes, violou um acordo assinado em Genebra no mês passado, que pretendia acalmar a crise.

"Nos próximos dias novos esforços acontecerão... para colocar as autoridades de Kiev e representantes do sudeste na mesa de negociações," disse Karasin.

Ele não deu mais detalhes.

Kiev e Moscou culpam um ao outro pela agitação no sul da cidade de Odessa, onde pelo menos 42 pessoas foram mortas na sexta-feira, durante um confronto nas ruas entre partidários e opositores da Rússia.

O ministro das relações exteriores da Rússia, Sergei Laprov e seu colega americano, John Kerry, concordaram, durante um telefonema no sábado, que a Organização para Segurança e Cooperação na Europa deve desempenhar um papel maior na redução da tensão.

Mais conteúdo sobre:
UCRANIA RUSSIA REBELDES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.