Rússia proíbe entrega de mísseis S-300 ao Irã

O presidente da Rússia, Dmitry Medvedev, emitiu um decreto proibindo a entrega de sistemas de defesa antimísseis S-300 e outras armas ao Irã, anunciou o Kremlin na quarta-feira.

STEVE GUTTERMAN, REUTERS

22 de setembro de 2010 | 15h28

Israel e Estados Unidos vinham fazendo lobby há muito tempo para que Moscou cancelasse os planos de vender a Teerã sistemas de mísseis de alta precisão, e as autoridades russas haviam prometido não fazer a entrega depois de apoiar uma nova rodada de sanções da Organização das Nações Unidas (ONU) contra o Irã em junho.

O decreto de Medvedev, que coloca as regras comerciais para a Rússia e para as companhias russas em acordo com as sanções, agradará aos EUA e a outros países do Ocidente que estão preocupados com a capacidade militar do Irã.

O decreto proíbe o fornecimento ao Irã de "qualquer tanque de batalha, veículo de combate blindado, sistema de artilharia de grande calibre, helicópteros de combate, navios militares" e mísseis cobertos por um registro da ONU, assim como partes sobressalentes, informou o Kremlin.

O texto proíbe especificamente a entrega dos S-300 - uma preocupação especial porque se teme que o Irã possa usá-los para proteger instalações cruciais a seu programa nuclear, sob suspeita dos governos do Ocidente de que tenha como objetivo o desenvolvimento de uma bomba.

O decreto foi anunciado horas depois de o chefe do Estado Maior das Forças Armadas da Rússia afirmar que os militares estavam cumprindo ordens do governo ao não entregar os S-300s ao Irã - na primeira confirmação direta vinda de uma autoridade do alto escalão sobre o congelamento do negócio.

O timing do decreto pode ter tido a intenção de acalmar o Ocidente após a inauguração de uma usina nuclear de construção russa no Irã no mês passado e o anúncio recente da intenção de vender mísseis à Síria, preocupando Israel e Washington.

A Rússia apoiou em junho as novas sanções do Conselho de Segurança da ONU contra o Irã por causa das atividades nucleares do país. Autoridades francesas afirmaram depois que o primeiro-ministro Vladimir Putin disse ao presidente Nicolas Sarkozy que Moscou não entregaria os mísseis ao Irã.

Antes disso, autoridades russas haviam dado declarações divergentes sobre se as sanções contra o Irã evitariam a venda.

Tudo o que sabemos sobre:
RUSSIAIRAMISSEIS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.