Alexander Zemlianichenko/AP
Alexander Zemlianichenko/AP

Rússia propõe sediar novas discussões internacionais sobre Síria

Moscou tem intenção de incluir o Irã no diálogo; segundo o vice-chanceler russo, proposta foi feita

Reuters,

10 de julho de 2012 | 09h24

MOSCOU - A Rússia disse nesta terça-feira, 10, que está disposta a sediar uma nova reunião de potências mundiais para discutir o conflito na Síria, e propôs a inclusão de outros países no processo, entre eles o Irã. O vice-chanceler Mikhail Bordanov disse que Moscou fez a proposta numa reunião internacional em 30 de junho em Genebra.

 

Veja também:

linkEUA elevam tom de advertência a regime sírio

 

"Da nossa parte, só posso confirmar que saudaríamos a organização de uma sessão regular de um 'Grupo de Ação' em Moscou... Seja como for, vemos relevância em receber tal evento", disse Bogdanov à agência de notícias russa Interfax.

 

Potências internacionais decidiram em Genebra que um governo transitório deveria ser instalado na Síria, mas deixou em aberto qual seria a participação do atual presidente do país, Bashar Assad, que há 16 meses reprime violentamente uma rebelião popular.

A reunião de Genebra teve a participação da Rússia, EUA, China, França, Grã-Bretanha, Turquia, Kuwait e Catar, além dos secretários-gerais da ONU e da Liga Árabe e da chefe da diplomacia da União Europeia, Catherine Ashton.

Bogdanov repetiu a posição russa de que eventuais reuniões semelhantes no futuro deverão incluir outros países com influência sobre a situação síria -- inclusive o Irã, aliado de Assad, e a Arábia Saudita, que apoia a oposição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.