Rússia quer condenar Boris Berezovsky a nove anos de prisão

Promotores russos pediram à Justiçanesta segunda-feira um mandado de nove anos de prisão para omagnata Boris Berezovsky, opositor do Kremlin e julgado mesmosem estar presente por acusações de fraude e lavagem dedinheiro, informaram agências de notícias. Berezovsky, que vive em Londres, foi acusado no iníciodeste ano de fraudar fundos da companhia aérea Aeroflot, cujasações ele teve em meados da década de 1990, e de lavagem dedinheiro. Ele está sendo julgado sem estar presente em Moscou. O magnata refutou as acusações e não aceitou cooperar com aJustiça, dizendo que o julgamento é político. "O promotor falou na corte hoje e pediu para condenarBerezovsky a nove anos de prisão", afirmou o advogado AlexanderDudkin às agências. "A promotoria acredita que todas as acusações contraBerezovsky foram confirmadas na corte." A Grã-Bretanha repetidamente rejeitou as exigências daRússia para extraditar Berezovsky para o julgamento --um dosvários incidentes que azedaram as relações entre os doispaíses. A promotoria decidiu ir adiante no julgamentoindependentemente da ausência do acusado. Berezovsky, um dos magnatas que ganhou bilhões de dólaresna turbulência das reformas da era pós comunista, foi umainfluente figura política na Rússia até cair criar rusgas com opresidente Vladimir Putin no início dos anos 2000. A Polícia Federal brasileira investiga se há relação entreBerezovsky e a empresa MSI, que administrou o departamento defutebol do Corinthians em 2005 e 2006 e que contratou jogadoresde nível internacional, como o argentino Carlos Tevez. A suspeita é de que o clube paulista serviria para lavardinheiro do russo e de outros investidores internacionais pormeio da contratação de jogadores. (Por Oleg Shchedrov)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.