Rússia quer que Nicarágua sirva de exemplo

Moscou recebeu com "profunda satisfação" a decisão de Manágua em reconhecer as independências da Ossétia do Sul e de Abkházia

EFE

06 de setembro de 2008 | 05h37

O Ministério de Assuntos Exteriores da Rússia declarou neste sábado que espera que outros países sigam o exemplo da Nicarágua e reconheçam as independências da Ossétia do Sul e a Abkházia. "A Nicarágua foi o primeiro país da América Latina a apoiar poderosamente os povos dessas duas regiões. Queremos que, seguindo este exemplo, outros países considerem possível reconhecer esta realidade", afirma a Chancelaria russa em comunicado. Segundo a diplomacia russa, essa realidade seria de que "a partir agora Ossétia do Sul e Abkházia são Estados independentes abertos à interação em pé de igualdade com todos os membros da comunidade internacional". A Chancelaria russa disse ainda que Moscou recebeu com "profunda satisfação" a decisão de Manágua de reconhecer as independências da Ossétia do Sul e a Abkházia. Segundo o Ministério de Exteriores, o reconhecimento nicaragüense é uma "contribuição importante" para a formação de uma ordem mundial baseada no cumprimento estrito do direito internacional. A declaração da Chancelaria russa ressalta que a decisão do Governo da Nicarágua faz parte dos "tradicionais vínculos de amizade" entre Moscou e Manágua, e que, "sem dúvida, é um marco para o desenvolvimento das relações entre os dois países".

Tudo o que sabemos sobre:
Geórgia, Ossétia do Sul, Abkházia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.