Rússia quer reativar posto de espionagem da era soviética em Cuba, diz fonte

A Rússia negocia secretamente um acordo provisório com Cuba para reabrir uma grande base da era soviética na ilha caribenha, de onde o país espionou os Estados Unidos, disse uma fonte do setor de segurança da Rússia nesta quarta-feira.

REUTERS

16 de julho de 2014 | 11h51

Confirmando uma reportagem do jornal Kommersant, segundo o qual a ação teria sido acertada em princípio durante uma visita do presidente Vladimir Putin a Cuba na semana passada, a fonte disse à Reuters que a estrutura de um acordo foi combinada no encontro.

No auge da Guerra Fria, a base de Lourdes, ao sul da capital Cubana, Havana, teve até 3.000 funcionários e foi o maior centro de operações de Moscou no exterior para a coleta de informações a partir de sinais de rádio.

A base, a 250 quilômetros da costa dos Estados Unidos, também foi usada para facilitar as comunicações de navios russos.

Tudo o que sabemos sobre:
RUSSIACUBAESPIONAGEM*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.