Rússia rejeita críticas a veto no Conselho de Segurança

A Rússia repudiou as críticas internacionais ao seu veto a uma resolução do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) contra a Síria, dizendo que são "absolutamente inaceitáveis" e atacou os planos dos Estados Unidos de trabalhar fora do âmbito do conselho para aumentar a pressão sobre o presidente Bashar al-Assad.

Reuters

20 de julho de 2012 | 16h34

Rússia e China vetaram uma proposta de resolução na quinta-feira para ameaçar as autoridades sírias com sanções caso não interrompam a violenta repressão à revolução, que já dura 16 meses.

Países do Ocidente condenaram os vetos. O enviado britânico à ONU afirmou que a atitude da China na verdade "(protege) um regime brutal".

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores russo Alexander Lukashevich rejeitou a crítica, afirmando que a proposta de resolução previa exigências não realistas ao governo, ao mesmo tempo que não colocava pressão sobre os opositores.

"Em vez de fazer insinuações ásperas sobre a política russa ... nossos parceiros ocidentais deveriam pelo menos fazer algo para encorajar a oposição militante rumo a um acordo político", disse Lukashevich.

(Por Steve Gutterman)

Tudo o que sabemos sobre:
RUSSIASIRIACRITICAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.